Com um jogador a menos, Vasco empata e Nene faz a torcida do Fla chorar

Como diria um velho conhecido nosso: "roubado é mais gostoso", não é?

O clássico de hoje terminou da maneira mais bizarra.

Como já sabem, o Vasco empatou com o Flamengo no final da partida graças a um milagre, através de um pênalti após um segundo tempo inteiro dominado pelo roubo-nego. Começaremos com nosso querido Homem Piruca do Vasco, no vídeo abaixo.


Por causa dos problemas com meu pc novo (isso mesmo, ele teve que retornar para a loja na véspera do clássico contra o menguinho) e fui forçado a novamente, acompanhar o clássico pela rádio. A parte ruim desse tipo de coisa, é que "não vemos" o que está acontecendo. Dependendo do narrador esportivo nos dizer entre comentários, propagandas e mensagens dos ouvintes, os lances mais importantes. (Parece que os jogadores possuem tele-transporte nesse tipo de transmissão.)


A parte boa do rádio, que ele passa melhor a sensação em campo. Seus repórteres são mais próximos dos gramados que os da TV, e por serem imediatistas, sentimos melhor o ritmo do jogo (incluindo o som de fundo das torcidas, como você sabe, na TV Globo, eles aumentam o som para o seu "time preferido"). 

Resumidamente, o Vasco dominou o primeiro tempo!

Uma equipe totalmente diferente, na qual, o projeto de rival não tinha para onde correr.

Era notável o medo que eles sentiam do Vasco, tanto, que o mesmo comentarista da rádio, que antes do jogo fez questão de dizer que o Flamengo era o favorito, além de exaltar seu plantel e diminuir o do Vasco, foi o mesmo que na metade do primeiro tempo, falou que o gigante da colina era superior, etc. Infelizmente, o treinador novo ainda não mudou o jeito do Vasco desses últimos anos, que tem mania de fazer um gol para depois relaxar.

Mais uma vez aconteceu, na qual, o Flamengo se sentiu tentado e começou a crescer na partida.

Quando um time pressiona em clássicos transmitido pela rádio, você fica numa agonia, sabe. Poderia ser bem mais tranquilo, se os homens fizessem sua parte para evitar tal tragédia, mas no fim do primeiro tempo, encontramos um Flamengo com medo, mas que crescia em cima do Vasco. Logo, empatariam o jogo se continuasse assim.

Chegamos no segundo tempo, e o jogo prosseguiu da mesma maneira que o primeiro. Até que Luiz Fabiano peitou o juiz e foi expulso.(Após ver imagens no pc, dava para ver que o juiz simulou agressão). Segundo a transmissão na rádio, disseram que ele "escorregou e acertou o juiz". A intensão de ajudar o Flamengo a se recuperar era clara.

É lógico que a expulsão fez mal ao Vasco. Duas coisas aconteceram: desvantagem no número de jogadores e peso no psicológico.

Os homens que estavam com medo, se encorajaram e os homens que estavam tranquilos, se amedrontaram. Lembrando que o time está com desfalques, goleiro reserva e chovendo, já tremi pela possibilidade do empate e da virada, o que de fato, aconteceu. Após o segundo gol, os homens não pararam de atacar e minha agonia continuava.

Imagina você acompanhar isso sem as imagens? Foi duro.


Foi o jogo que eu vi o Vasco mais sem ação em campo, morto, entregue a situação. Nem mesmo o treinador que foi a beira de campo pedir aos laterais para avançarem, foi o suficiente. A Fla-press se deliciava ainda mais na rádio, exaltando o Flamengo e chamando-o agora de "time da virada", uma provocação ao Vasco, que tem tal apelido. 

O culpado pela derrota iminente seria o Fabuloso, que ainda não marcou pelo clube mas já tinha sido expulso. Era injusto, pois ele ia bem em campo. Por mais que pela más línguas duvidemos da capacidade do juiz, o único culpado por isso, foi o jogador. Para que encarar o árbitro depois do cartão amarelo? 

O Vasco não tinha reação, o psicológico e a desvantagem numérica contavam muito. Até que o jogador do projeto de rival pôs a mão na bola e a penalidade foi dada pro Vasco. (Ué, mas a Fla-press já provou que não houve toque de mão, é melhor concertar isso, não? Provável comentário de um leitor). Minha resposta: foi toque de mão do jogador do Flamengo. Se o roubo-nego foi campeão em cima do Vasco em 2014, então foi toque de mão do jogador do projeto de rival e fim de papo.


Gol de pênalti que foi um banho de água fria para a Fla-press, que passou o jogo todo se deliciando da "vitória do mengaum", sendo que antes disso, zoaram o terno do treinador do Vasco, chamando de cafona e brega, mas quando Luxemburgo treinava o Flamengo da mesma maneira, os mesmos falavam que era chique.

Para encerrar essa postagem, só queria deixar para os mulambos que acessam minha página mais um CHUPA FLAMENGO e o CHORO É LIVRE. Devolvam todas as taças que vocês tem ganhos nos anos 80 para poder falar de arbitragem. Ninguém aqui esqueceu as papeletas amarelas não.

Para o restante que torce para time grande, uma boa semana!

Notas do jogo
  • O juiz simulou agressão para poder expulsar Luiz Fabiano e ajudar o Flamengo.
  • Quando o Vasco estava dominando o jogo, antes de Nenê cobrar falta com perigo, desligaram a luiz no estádio e disseram que tinha sido um "erro". O engraçado, é que segundo a própria companhia de energia da capital afirmou que "a queda" não era deles, pois o serviço estava normal na capital, apontando para um "erro interno". (A luz cai quando o Vasco estar prestes a fazer o segundo gol?)
  • O treinador do Vasco, usou Pikachu de uma maneira que a torcida não esperava, usá-lo como meio de campo. Após a vinda de Gilberto, todos pensavam que o Pikachu seria reserva na posição e inoperante no Vasco. 
  • A entrada de Manga mudou a equipe, que com menos um e todo o peso psicológico, ainda colocou uma bola na trave e quase chegou ao empate.

Nenhum comentário

Vascaínos na Web. Tecnologia do Blogger.