Em entrevista, Edmundo expõe seu desejo de se tornar presidente do Vasco

Preocupado com a pior direção de todos os tempos, o ex-jogador Edmundo e hoje comentarista da TV Bandeirantes, falou a respeito sobre seu desejo de se tornar presidente do Clube de Regatas Vasco da Gama. Como opinião pessoal, até gostaria que ele fosse presidente, mas, isso poderia manchar para sempre sua história no clube (como aconteceu com Dinamite). É melhor tê-lo como torcedor, do que colocá-lo num campo em que ele não entenda (presidir um clube não é como montar um time no Cartola, por exemplo).Confira a entrevista que saiu no portal Band, abaixo:

Portal da Band: Depois de uma goleada como a diante do Internacional, sua vontade de ser presidente do Vasco aumenta ou diminui?
Edmundo: A vontade aumenta, com certeza. Com o clube que a gente gosta, que a gente ama, você que sempre ajudar, melhorar. Mas a eleição acabou de acontecer, não tem nem 10 meses que houve eleição, tem uma nova diretoria, um novo presidente (Eurico Miranda). Tem que esperar uma nova eleição. Não é porque o time perdeu uma partida, que foi humilhado em uma goleada por 6 a 0, que alguém chega lá, desliga a chave e entra outro presidente. Tem todo um processo eletivo a ser cumprido e, num momento oportuno, a gente vai participar ou não. Depende de onde a gente estiver, os projetos em que estejamos envolvidos. 
Há a possibilidade de que você se candidate nas próximas eleições? 
Edmundo: Eu estou inelegível. O Roberto (Dinamite) me deu um presente de grego, para falar a verdade. Eu era sócio, estava apto a votar e ser votado, e ele me deu um título de benemérito benfeitor. Com esse título, você só se torna elegível após cinco anos. E na próxima eleição ainda não vai dar. 

O que precisa ser mudado primeiro para tirar o Vasco desta má fase? 
Edmundo: Primeiro, você tem que trabalhar, sem trabalho não se consegue nada. Segundo, olhar para a base. Os três maiores artilheiros do futebol brasileiro são oriundos das categorias de base do Vasco. Há quanto tempo o Vasco não lança um grande jogador? O que vale mais a pena, pagar um salário grande para um jogador que produz pouco ou botar um garoto da base, que, mesmo produzindo pouco, pode trazer um retorno financeiro? Enfim, você tem que ter dois mundo. Um em que você vai ter um estádio, um time campeão do mundo. E o outro é o real, em que você resolve os problemas do dia a dia. Como não estou lá e não sei quais são os problemas diários, eu diria que montar um grande time é o primeiro passo. 

Você acha que a qualidade do elenco do Vasco é condizente com a posição do clube no Brasileirão? 
Edmundo: Em termos de nomes, eu acho que o Vasco errou o momento. Esses jogadores deveriam ter sido contratados em 2005. Eram todos bons em 2005, não em 2015. Acho que foi mais pelo desespero do que propriamente pelo desejo de contratar os jogadores que lá estão. Os jogadores não têm culpa nenhuma, mas o Vasco tem que ter sempre os melhores do mercado, não os que estão sobrando.

Nenhum comentário

Vascaínos na Web. Tecnologia do Blogger.